Latest Posts:

Corydora aeneus | Barbatanas Blog

Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Siluriformes
Família: Callichthyidae
Género: Corydora
Espécie: Corydora aeneus

Biologia

As coridoras são na sua generalidade peixes de cardume e habitantes do fundo. Possuem um conjunto de barbilhões que utilizam para sondar o substrato por comida. 

Peixes originários da América do Sul onde tantas outras espécies, muitas deles extremamente idênticas, habitam.
Esta espécie, também apelidada de Coridora Bronze, atinge um máximo de 7cm e vive muito melhor num grupo de, no mínimo (!!) 3 exemplares - de preferência 6, mas quanto mais melhor, num ambiente com substrato arenoso e especialmente sem arestas. Ou seja, um grupinho de coridoras num aquário com fundo de areia e esconderijos está impecável! Por esconderijos leia-se: plantas, cavernas, troncos, etc etc...


Sendo já peixes criados vastamente em cativeiro, as suas exigências químicas não são extremas. Podemos no entanto apontar para uma temperatura de 24ºC (21 a 29ºC) e um pH entre 6-8.

Variedade Albina



Adoram revolver o fundo, por isso, como referido, a existência de um fundo de granulometria pequena e sem arestas é exigido, caso contrário ferem os barbilhões, muitas vezes, perdendo-os. Nestas demandas, é normal enterrem a cabeça até aos olhos à procura de comida, sendo por isso, extremamente úteis na limpeza de restos de alimento no aquário, não significando isso que não se deva alimentá-los. O fornecimento regular e adequado de pastilhas de fundo ou granulado pesado são óptimas opções à sua dieta, no entanto, se quisermos oferecer bloodworm, tubifex (que adoram!!!) ou outro alimento congelado, elas irão agradecer!



Reprodução

A reprodução de Corydoras em cativeiro é bastante gratificante. As fêmes são facilmente distinguidas quando ovadas - a sua barriga cresce de tal forma que ficam GINGANTES! É a maneira mais fácil de distinguir os géneros.
Ao contrário de muitas espécies, no género Corydora, devemos ter um rácio de 2 machos para 1 fêmea.


Para estimular a desova, uma troca de água de 50 - 70% (ATENÇÃO AO CLORO) com água mais fresca, aumentando a corrente e o nível de oxigénio, parece resultar. Estas condições simulam a época das chuvas no habitat natural. Quando os machos começam a nadar em frente das fêmeas, como que fazendo um T, significa que a desova estará para breve.


Os ovos são geralmente depositados no vidro, mas poderão também sê-lo em folhas ou mops de desova. Após a desova, é aconselhável retirar os adultos (se estiverem num aquário de reprodução), ou os ovos (mais prático se a desova tiver ocorrido no comunitário).


A incubação dura regra geral 3 a 4 dias, dependendo da temperatura. As pequenas larvas ficarão no fundo do aquário a mexer freneticamente as suas pequenas caudas até absorverem o saco vitelino por completo. Depois deste período, começarão a nadar livremente, altura em que se deve começar a fornecer microvermes ou náuplios de artémia.




Em conclusão, a Coridora Bronze é um excelente peixe para iniciantes e em especial uma excelente primeira escolha para o género Corydora, espantosamente vasto, com espécies para todos os gostos!

Se tiverem ainda mais algumas curiosidades, podem dar uma olhada ao PlanetCatfish.com

Contem-me coisas! Têm coridoras? Quais, quantas? Criam-nas? Quero saber tudo!


Fiquem bem e... Até à próxima!
Share on Google Plus

About João Figueiras

The author studied Marine Biologist and is a fishkeeper since the age of 12. The most exciting aspect of the hobby for him is to breed fish and develop certain strains of fish and invertebrates.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário

Most Trending