quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Pinhas de Amieiro e Sweetgum | Barbatanas Blog

Olá a todos!

Com o actual crescimento da aquariofilia na secção do marisco (leia-se Camarões de água Doce Ornamentais!), é natural os aficionados menos hardcore do hobby começarem a levar com uma enchente de informação de todos os lados sobre os mais diversos assuntos. O mais famoso: utilização de produtos naturais para o bem-estar dos camarões.

Ora, quem diz camarões, diz peixes, no geral, no entanto este assunto parece estar mais explorado na parte Crustacea do hobby.

Mas antes de me começar a aprofundar nas características das Pinhas de Amieiro e de Sweetgum, deixem-me dizer-vos que não são os únicos produtos naturais com benefícios para a aquariofilia, aliás, existem muitas mais substâncias que podemos usar para obter os mesmos resultados, um muito famoso é a folha da Amendoeira da Índia (Terminalia catappa), amplamente utilizada para a criação de bettas e de Killifishes.

Exemplar de killifish: Notobranchius rachovii

Ora, vamos ao que interessa!

Propriedades das Pinhas de Amieiro e de Sweetgum:
-Baixam o pH;
-Refúgio natural para crias;
-Libertação de taninos, causando efeito Black Water;
-Alimento para determinadas espécies de peixes e camarões;
-Propriedades anti-fúngicas;
-Previne Infecções.
Pinhas de Amieiro

Pois, como podem ver, são só coisinhas boas! Mas isto não é só arranjar umas quantas e atirar para dentro do aquário! Se apanharem da Natureza, convém terem em atenção aos seguintes pontos:

-Colectar de um local de baixa poluição;
-Não sobrecoletar (vamos todos ser um pouquinho mais green);
-Deixar secar;
-Lavar bem com água corrente;
-Ferver durante uns minutos.

Sweetgum
Tal como referi no início do artigo, muitas outras substâncias são utilizadas na aquariofilia, deixo-vos uma discussão num Fórum da Associação Portuguesa de Killifilia (APK), com mais alguns exemplos e respectivos testemunhos.

Se utilizam algum destes produtos naturais, estão a gostar? Qual o vosso feedback neste assunto?

Fiquem bem e... Até à próxima!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Agressivo vs Territorial | Barbatanas Blog

Olá a todos! Novo ano, nova vida, certo?!

Aqui à uns tempos respondi a uma pergunta num grupo de aquariofilia sobre comportamento de peixes. A questão focava-se numa espécie de peixes e se estes são agressivos ou não. E aí está o problema.

Vamos por partes! Por definição:
  • Agressivo: Que é capaz e agredir, de atacar; em que há ou expressa agressão. s.m. Indivíduo que tende a se comportar hostil e destrutivamente. (Fonte)
  • Territorial: Que defende ou tende a defender o seu território. (Fonte)
Ora, posto isto, podemos deduzir que um peixe ou outro animal agressivo, tende a atacar por forma a prejudicar outro, seja ele da mesma espécie ou de espécies diferentes. Territorial, por sua vez, é um animal relativamente pacífico para com outros, excepto casos em que o seu território está ameaçado ou foi transposto.

Assim sendo, vamos a um exemplo, que era o caso da dúvida exposta. Um Pulvichromis pulcher (vulgo, Kribensis), é territorial ou agressivo?


Eu responderia, territorial! Mas haverá alguém que diz "Ah e tal e quando tem crias?". A minha resposta mantém-se. Ora, apesar de parecer que o casal se torna mais agressivo, de facto eles ficam é menos tolerantes.
Imaginemos que estão num aquário gigante, digamos 5m quadrados. Os Kribensis não atacam deliberadamente qualquer peixe que vêem, mas sim, expulsam-nos do local onde efectuaram a postura ou onde têm as crias, de tal forma que, se nenhum indivíduo se aproximar dessa zona, o casal permanecerá de guarda às crias tal como se não existisse mais nenhum peixe no aquário.

Espero que tenham ficado com menos dúvidas quando tentam definir o comportamento de determinado peixe!

Fiquem bem e... Até à próxima!